Hospital Público 9 - abril 2018

Luís Campos conta que, desde o início, a visão do Serviço de Medicina do Hospital de São Francisco Xavier, Centro Hospitalar Lisboa Ocidental (CHLO), é tornar-se num serviço de referência a nível nacional, destacando-se pela qualidade assistencial e pela satisfação dos doentes.

“Queremos que sejam bem tratados, mas também que se sintam bem tratados”, afirma, salientando que a humanização está no topo das prioridades.



"Um modelo organizacional em que nós acreditamos"

“Pretendemos estimular no Serviço uma diversidade de fenótipos de internistas, fazendo com que todos tenham uma capacidade holística, característica fundamental da Medicina Interna", refere Luís Campos.

Por outro lado, o objetivo é, "ao mesmo tempo, ter pessoas muito diferenciadas, que atuam em unidades onde há equipas de enfermagem também diferenciadas, que dispõem de protocolos e onde é feita formação e investigação. É um modelo organizacional em que nós acreditamos e a evidência mostra que obtém os melhores resultados”, diz, acrescentando:

“O Serviço está também empenhado no desenvolvimento de uma diversidade organizacional de soluções que sirvam de alternativas ao internamento, que retirem os doentes da Urgência e deem a cada um deles uma solução mais eficiente e mais adaptada às suas necessidades. Entre estas soluções, destaca-se a hospitalização domiciliária, uma unidade de diagnóstico rápido e um melhor aproveitamento do hospital de dia”.

Imprimir