Hospital de Ovar vence Prémio Saúde Sustentável com projeto «Escala de Risco Covid-19»

O Hospital Dr. Francisco Zagalo – Ovar (HFZ-Ovar) foi o vencedor, pelo segundo ano consecutivo, do Prémio Saúde Sustentável, tendo sido distinguida a Escala de Risco Covid-19, "um projeto já em curso, que permite antecipar o risco de infeção pelo novo coronavírus".

É com evidente satisfação que o presidente do Conselho Diretivo do HFZ-Ovar, Luís Miguel Ferreira, verifica a importância para o júri desta escala de risco, "atribuindo-lhe potencial para ser replicada em todo o país".

Na sua opinião, "além de contribuir para a produção de conhecimento científico nesta vertente, estamos a falar de uma ferramenta preditiva muito importante para o futuro das instituições hospitalares, adaptando-as para a gestão de casos da pandemia e melhorando, consequentemente, a qualidade do serviço e a gestão do risco e dos recursos".

O responsável faz questão de recordar que o prémio foi atribuído a um projeto do qual o HFZ-Ovar é parceiro, em conjunto com a Winning Consulting e com o Cintesis (Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, sediado na Universidade do Porto) e que "acrescenta responsabilidade ao nosso trajeto e impulso de uma cultura de inovação, no sentido de continuarmos a servir cada vez melhor os nossos utentes."


Luís Miguel Ferreira

Os vencedores do Prémio Saúde Sustentável foram revelados esta terça-feira, numa cerimónia que decorreu na Fundação Oriente, em Lisboa, na presença do secretário de Estado da Saúde, Diogo Serras Lopes.

Nesta edição de 2020, o prémio foi atribuído em dois âmbitos: institucional e personalidade. Na distinção institucional, entre 111 candidaturas foram premiadas sete categorias correspondentes aos critérios: experiência do cidadão, resultados em saúde, integração de cuidados, impacto populacional, transição digital, replicabilidade (galardão atribuído ao HFZ-Ovar), escalabilidade.

Na distinção personalidade, não sujeita a candidatura, o júri premiou a personalidade com maior destaque e relevo na promoção de práticas sustentáveis no âmbito da pandemia, este ano Fernando Araújo, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário de S. João.

Parâmetros para avaliação do risco de infeção pelo novo coronavírus

O objetivo do projeto - contemplado financeiramente com quase 30.000 euros no âmbito da iniciativa “RESEARCH 4 COVID19” da Fundação para a Ciência e Tecnologia - passou por criar uma ferramenta que permita determinar o risco de infeção pelo novo coronavírus (SARS-CoV2). "Entre os parâmetros utilizados para avaliação do risco estão o número de infetados, a gravidade dos casos e o número de profissionais de saúde, por exemplo, levando à ativação de planos de contingência que pretendem dar resposta a um determinado nível de risco".

Em comunicado, o HFZ-Ovar sublinha ainda a aplicação desta escala de risco: "Com potencial de replicabilidade no contexto dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS), pretenderá calcular o nível de risco a cada momento, reorientar as equipas e adequar a capacidade e a oferta dos hospitais, num curto espaço de tempo, com vista à continuidade, segurança e qualidade dos cuidados prestados".

O Prémio Saúde Sustentável – já na sua nona edição e que conta com o Alto Patrocínio da Presidência da República - é uma iniciativa do Jornal de Negócios e da farmacêutica Sanofi Portugal orientada para a divulgação e incentivo de boas práticas da sustentabilidade da saúde em Portugal.

A edição deste ano, por decisão unânime do júri, foi dedicada à partilha das boas práticas em contexto de Covid-19, com o objetivo de reconhecer e distinguir projetos ou instituições que se destacaram na luta contra a pandemia que enfrentamos.

Imprimir