Medicina cardiovascular: Dar apoio na «interpretação da auscultação cardíaca»

A iniciativa que se realiza nos dias 20 e 21 de outubro, em Espinho, vai permitir o esclarecimento de dúvidas de médicos de família e de recém-especialistas sobre a importância da auscultação cardíaca.

Com caráter "eminentemente prático", o Workshop on Cardiovascular Medicine 2017 decorrerá no Hotel Solverde e acontece no seguimento das Jornadas de Cardiologia de Aveiro Norte/Centro Hospitalar Entre Douro e Vouga (CHEDV), que se realizaram anualmente desde 2002 e cujo fim foi condicionado pelas "recentes alterações legislativas".

Organizado por Luís Martins e por Fernando Pinto, respetivamente, diretor do Serviço de Cardiologia e assistente graduado de Cardiologia do CHEDV, o Workshop conta com o apoio científico da Sociedade Portuguesa de Hipertensão e da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Fernando Pessoa.


Fernando Pinto e Luís Martins

Em declarações à Just News, os especialistas recordam que, em 2002, quando as jornadas foram criadas, o objetivo era "criar uma maior proximidade entre médicos de família que referenciavam para o hospital e os cardiologistas do Serviço de Cardiologia", de modo a facilitar os contactos e melhorar o tratamento dos doentes.

No entanto, ao longo dos anos, têm participado cada vez mais médicos "provenientes dos vários pontos do país".

Dar apoio na "interpretação da auscultação cardíaca"

Nesta edição, além da componente teórica, todas as sessões (conferências e mesas-redondas) terão um caráter prático. Haverá algumas completamente práticas, com introdução de televoters e outros meios que permitem a interação entre o público e os oradores.

“O objetivo é que, no final do evento, todos os participantes melhorem a forma como irão passar a abordar os doentes do ponto de vista da investigação clínica”, clarifica Fernando Pinto.

O médico realça a realização de "uma sessão inovadora” onde será abordada, com questões muito práticas, a importância do exame físico, particularmente da auscultação cardíaca, "na orientação dos exames que serão pedidos e até no tratamento".

Esta é considerada uma temática muito importante na área cardiovascular, "sobretudo porque há sempre a tendência de pedir vários exames sem fazer a auscultação cardíaca".

“Muitas vezes, os colegas têm dúvidas na interpretação da auscultação cardíaca, exame que nos pode auxiliar para alguns diagnósticos e excluir outros e, sobretudo, fazer com que façamos a investigação subsequente mais dirigida”, acrescenta Luís Martins.



Temas relevantes pela sua prevalência

De destacar, também, a realização do já “tradicional” curso sobre eletrocardiograma (ECG), bem como a apresentação de novidades terapêuticas, particularmente na área da insuficiência cardíaca, e a abordagem de temas relevantes "pela prevalência que assumem na nossa população", como é o caso dos fatores de risco cardiovascular (diabetes mellitus, dislipidemia e papel da vitamina D) ou a fibrilhação auricular.

Terá lugar, também, uma mesa-redonda subordinada ao tema “Tratar a HTA em 2018 – porquê e como?” e uma conferência sobre “Stress e HTA”, proferida por Csaba Farsang (Hungria).

O programa provisório pode ser consultado aqui.

Para mais informações:
Secretariado Executivo - cidaliampacheco@veranatura.pt
Tel.: 217 120 778

Para mais informações: http://www.cardiovascular-medicine.pt/

Imprimir


Médicos de família assinalam Dia Mundial da Asma 2019 na Sertã