Opinião

Competências dos enfermeiros no cuidado ao doente sob suporte circulatório mecânico


Teresa Pessoa

Enfermeira na UTIC, Serviço de Cardiologia do CHLN, Centro Cardiovascular da UL e Centro Académico de Medicina de Lisboa. Mestranda em Enfermagem, área de especialização Pessoa em Situação Crítica, na ESEL.


O suporte circulatório mecânico (SCM) é recomendado para doentes altamente selecionados. Em Portugal, não existe formação pós-graduada padronizada para os enfermeiros que cuidam destes doentes, nem estão descritas as suas competências.

Fora do país, existem guidelines e formação avançada creditada pela Extracorporeal Life Support Organization (ELSO, 2010) para enfermeiros especialistas em ECMO, reconhecida pela Ordem dos Enfermeiros (OE) no parecer n.º 05/2013.

Relativamente aos restantes dispositivos de SCM, as competências estão descritas pela International Society of Heart & Lung Transplantation (ISHLT) para a equipa multidisciplinar, nomeadamente no que diz respeito à educação do doente e cuidador principal; consentimento informado e dilemas éticos; avaliação inicial e otimização do doente pré-implantação do dispositivo; cuidado intra e pós-operatório, desde o imediato até ao pós-alta, considerando aspetos como a monitorização/manutenção da estabilidade hemodinâmica; regime terapêutico e sua adesão, com especial enfoque na anticoagulação; prevenção da infeção e cuidados com os sistemas de canulação e driveline cutânea, avaliação das condições do doente e cuidador principal no que respeita ao autocuidado e transição hospital – domicílio/comunidade (Feldman et al., 2013).



Após entrevista com peritos americanos e revisão da literatura, parece não existirem guidelines para a formação dos enfermeiros especializados no cuidado ao doente sob SCM com dispositivos de assistência ventricular. A formação é feita de forma diferente de centro para centro, muito apoiada na indústria, que fornece o dispositivo.

Quando se inicia um Programa de Suporte Circulatório Mecânico de novo, o heart team deve ir fazer formação a um centro com experiência comprovada. Deve existir um programa de formação semiestruturado que contemple formação didática, hands on, prática em laboratório com recurso a simulação e supervisão clínica, até aquisição de autonomia por parte do Enfermeiro.

A recertificação de competências deve ser feita anualmente e com recurso a avaliação teórica e prática “OSCE” – objetive structured clinical examination, método já utilizado, por exemplo, nos cursos de Suporte Avançado de Vida creditados. (Casida & Ilacqua, 2011; Chichetti, 2011; Liddle, 2014; O’Shea, 2012; Savage, Murphey, & Joyce, 2010).

O objetivo do estudo, recentemente apresentado no Euro-HeartCare, em Dublin, foi realizar o diagnóstico de situação relativamente à opinião dos enfermeiros portugueses sobre
as competências necessárias para um cuidado centrado no doente sob SCM; aferir os tópicos a incluir na formação a realizar para obter essas competências e discutir os resultados obtidos de acordo com a evidência científica atual.

Para este estudo, aprovado pela Comissão de Ética da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, foi criado e validado um formulário constituído pelas seguintes secções:

1. Dados de caracterização;
2. Competências do enfermeiro na avaliação inicial do doente pré-implantação do dispositivo de SCM;
3. Competências do enfermeiro no cuidado ao doente pós-implantação do dispositivo de SCM;
4. Competências do enfermeiro na gestão do dispositivo de SCM;
5. Competências do enfermeiro na formação da equipa de Enfermagem sobre o dispositivo de SCM.

O formulário foi divulgado entre 1 e 28 de fevereiro de 2018 a todos os enfermeiros portugueses e solicitada a resposta a todos os que trabalham/trabalharam com doentes sob SCM, através da Ordem dos Enfermeiros (OE), do ResearchGate e do Facebook. Foi obtido consentimento informado. A participação foi voluntária e anónima. A amostra final foi constituída por 48 enfermeiros com experiência profissional na área.

As opiniões sobre as competências altamente especializadas necessárias para melhorar a prática avançada de Enfermagem no cuidado centrado ao doente sob SCM denotam a preocupação dos enfermeiros portugueses com a sua formação avançada e o domínio da prática clínica, na área do cuidado ao doente sob SCM.

As competências descritas serão propostas à OE para certificação de competências acrescidas. Os resultados serão publicados em breve. Pretende-se replicar este estudo a nível internacional.



Artigo publicado na LIVE Cardiovascular 18.

seg.
ter.
qua.
qui.
sex.
sáb.
dom.

Digite o termo que deseja pesquisar no campo abaixo:

Eventos do dia 24/12/2017:

Imprimir