C-mo Medical Solutions reúne 4,1 milhões de euros para «melhorar a gestão da tosse crónica»

A C-mo Medical Solutions, uma start-up portuguesa de saúde digital, anunciou esta semana a "conclusão de uma ronda de investimento no valor de 4,1 milhões de euros".

Diogo Tecelão, co-fundador e CEO da empresa, explica que a equipa está a "desvendar o potencial de analisar a tosse com o intuito de otimizar diagnósticos, planos de tratamento e a gestão de doenças crónicas".

E foi com esse intuito que conseguiram agora um "investimento significativo, com parceiros de que nos orgulhamos muito: um fundo de investimento de uma das maiores farmacêuticas a nível mundial (Boehringer Ingelheim), bem como dois investidores governamentais dos quais destaco a Portugal Ventures".

Segundo o responsável, este apoio financeiro vai permitir à empresa "levar a sua tecnologia inovadora de monitorização da tosse para o mercado".

"Avaliação completa e holística da tosse"

Diogo Tecelão recorda que a Sociedade Europeia Respiratória declarou, em 2019, que existe "uma necessidade urgente de tecnologias adequadas para a monitorização da tosse". Desde então, "desenvolver uma solução tem sido a nossa missão!”

De acordo com o responsável, “o C-mo é a primeira e única solução que permite monitorizar facilmente a tosse, durante longos períodos temporais, e protegendo a privacidade do doente". Por outro lado, refere que é também "a primeira ferramenta que faz uma avaliação completa e holística da tosse, permitindo a sua utilização em diversas aplicações”.

Ou seja, "a tecnologia inovadora do C-mo analisa as características subtis da tosse dos doentes e transforma-as em informação clinicamente útil".

Considera ainda que "representa uma solução importante para acelerar diagnósticos, otimizar planos de tratamento, melhorar a gestão de doenças crónicas, e apoiar a investigação farmacêutica".



Equipa fundadora da C-mo Medical Solutions. Da esquerda para a direita: Filipe Valadas, Alexandra Lopes, Diogo Tecelão, Sara Lobo e Miguel Andrade

"Acreditamos que irá adicionar grande valor"


Esta ronda de investimento no valor de 4,1 milhões de euros foi liderada pela Boehringer Ingelheim Venture Fund, com participação da Portugal Ventures e High-Tech Gründerfonds. 

Alexander Ehlgen, investment manager na Boehringer Ingelheim Venture Fund, não esconde o entusiasmo com a nova tecnologia do C-mo para a análise da tosse: "Acreditamos que irá adicionar grande valor ao permitir diagnósticos mais específicos e ao empoderar os doentes para entenderem e gerirem melhor a sua doença."

Teresa Fiúza, vice-presidente da Portugal Ventures, partilha a convicção de que o investimento na C-mo Medical Solutions é uma óptima aposta: "Esta ronda de investimento irá permitir à empresa continuar a desenvolver o seu produto e responder a necessidades médicas no âmbito da gestão personalizada da tosse crónica e interações doente-paciente, e permitirá também a sua internacionalização nos mercados Europeu e Norte-Americano”.

Um investimento que permite "obter evidência clínica essencial"

Para Niels Sharman, investment manager na High-Tech Gründerfonds, “o C-mo está a responder a uma necessidade clínica sem resposta".

Considera que esta solução "tem o potencial de transformar a forma como as doenças nas quais a tosse é um sintoma preponderante são diagnosticadas, geridas e tratadas". Nesse sentido, refere que o investimento "vai permitir à empresa obter evidência clínica essencial e continuar a desenvolver a sua plataforma".

Diogo Tecelão conclui: “Acreditamos que o C-mo irá causar uma mudança de paradigma na forma como a tosse é tratada, em como as doenças respiratórias são monitorizadas, e em como novos medicamentos são lançados para o mercado”.



seg.
ter.
qua.
qui.
sex.
sáb.
dom.

Digite o termo que deseja pesquisar no campo abaixo:

Eventos do dia 24/12/2017:

Imprimir


Próximos eventos

Ver Agenda