MGFlash 3.0 para médicos internos: das ferramentas úteis em consulta aos estágios internacionais

Será nos dias 18 e 19 de fevereiro que irá decorrer, online, o curso MGFlash 3.0, um evento organizado pelos internos do ACES Loures/Odivelas, de inscrição gratuita, e que visa apoiar o percurso profissional de um interno de formação específica (IFE) em Medicina Geral e Familiar (MGF).

Esta 3.ª edição é organizada por um grupo de médicos internos das USF Valflores, ARS Médica, LoureSaudável e Rainha Santa Isabel. Válter Ferreira, que integra a Comissão Organizadora, salienta a importância de iniciativas como esta que, em tempo de pandemia, contribui para “se manter o contacto com as temáticas próprias da especialidade”.

O médico, agora no 4.º ano do Internato, está mais uma vez envolvido na organização do curso, mas "sem deixar de estar imerso num conjunto de várias tarefas no âmbito da covid-19", nomeadamente, na plataforma Trace-Covid e no acompanhamento dos infetados que se encontram em casa.


Válter Ferreira

É, assim, "um ano diferente", em que a formação dos internos se deparou com várias mudanças no curriculum. “Temos, de facto, muito menos contactos presenciais, o que dificulta a nossa formação, sobretudo de quem começou recentemente o Internato, por não estar a por em prática o que era suposto.”

Uma situação que preocupa, mas que, para já, não é prioritária. “Neste momento, o nosso foco é dar resposta à pandemia; ver-se-á no futuro como se poderá resolver essa questão.”

"Temos conseguido manter a proximidade, principalmente na doença crónica"

No último ano, as consultas têm-se realizado, sobretudo, por telefone, além dos muitos emails que permitem ao doente enviar resultados de exames ou pedir receituário. “Apesar de tudo e de ainda não termos videochamada nos cuidados primários – exceto projetos-piloto residuais -, temos conseguido manter a proximidade com a maioria dos utentes, principalmente na doença crónica e em casos até de solidão.”

Na sua opinião, este contacto tem sido de alguma forma facilitado pela especificidade da MGF. “É uma especialidade de proximidade, pela sua natureza; o médico de família conhece o utente nos diferentes ciclos de vida e o seu agregado familiar.”

Paralelamente aos muitos desafios que a pandemia trouxe no último ano, Válter Ferreira está satisfeito por no meio de tanto trabalho poder realizar-se o MGFlash. Recorde-se que o curso teve a sua primeira edição em 2019 apenas no âmbito do ACES Loures/Odivelas, tendo-se expandido no ano seguinte a todos os ACES do país.



"Para além da MGF" - dos estágios internacionais ao voluntariado

A formação arranca com duas intervenções de médicos especialistas de Medicina Geral e Familiar, que refletem bem a abrangência de temas do curso. Hugo Gaspar, da USF Travessa da Saúde, irá abordar questões relacionadas com "organização dos cuidados de saúde primários" e Cristina Silva, da USF Rio de Mouro, partilhará a sua experiência sobre "ferramentas úteis em consulta".

As consultas nos cuidados primários vão estar em destaque. Serão partilhadas as experiências e mais valias de consultas dedicadas à hipertensão, diabetes, Saúde Infantil, Saúde Materna, Planeamento Familiar.

O programa inclui a realização de uma mesa redonda intitulada "Para além da MGF". Nesta sessão, que encerra o curso, estarão em debate questões e partilhadas experiências relacionadas com a importância dos estágios internacionais, o impacto e a necessidade de projetos de literacia em saúde, os passos envolvidos na criação de uma consulta e as mais valias de um processo de voluntariado.  

O programa pode ser consultado aqui.

A inscrição (gratuita) pode ser efetuada aqui, estando a formação aberta a qualquer médico interno de MGF.

A iniciativa conta com o apoio da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo e do Sindicato Independente dos Médicos. 



seg.
ter.
qua.
qui.
sex.
sáb.
dom.

Digite o termo que deseja pesquisar no campo abaixo:

Eventos do dia 24/12/2017:

Imprimir