Melhorar a emergência pré-hospitalar: «promover a investigação e o conhecimento científico»

Apostar na formação e na profissionalização em emergência pré-hospitalar é o objetivo principal da Associação Portuguesa de Médicos e Enfermeiros de Emergência (APEMERG).

Como refere Tiago Carvalho, presidente da Direção da associação: “É necessário profissionalizar os recursos humanos do INEM, criando a especialidade de emergência médica com partilha de quadros diferenciados com os hospitais, não deixando o socorro entregue ao voluntariado e ao amor à camisola.”

De acordo com o médico da VMER do Hospital de Vila Franca de Xira (HVFX), quando se fala em formação na emergência pré-hospitalar ninguém deve ser esquecido, porque, como disse à Just News, “o voluntariado é de louvar mas, nesta área, é claramente um elo mais fraco na cadeia de emergência”.


Tiago Carvalho e Tiago Amaral, respetivamente, presidente e secretário da Direção da APEMERG

"Uma força positiva, de crítica construtiva"

O responsável realça, assim, o contributo da APEMERG para a consolidação de conhecimentos dos diferentes operacionais. “Somos um parceiro sempre atento ao que de melhor se deseja nesta área e apostamos na divulgação de informação científica e na avaliação de projetos de investigação”, reitera.

O médico intensivista do HVFX refere mesmo: “A APEMERG quer ser vista como uma força positiva, de crítica construtiva e não uma mera associação que representa sócios, já que o propósito é mesmo melhorar a emergência pré-hospitalar em Portugal”.

Para Tiago Carvalho, a componente formativa torna-se ainda um pilar mais importante no trabalho da APEMERG face à atual realidade. “A emergência pré hospitalar é deficitária, sobretudo ao nível de uma coordenação eficaz por parte do INEM e é necessário um maior número de quadros médicos, assim como um Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) mais robusto, em que os médicos sejam efetivamente o topo da hierarquia com capacidade de decisão.”

Na sua opinião, “os enfermeiros devem voltar ao CODU, dando a este último mais qualidade de atendimento e segurança e uma mudança radical no programa de triagem, evitando muitos falsos positivos e ativações desnecessárias de meios diferenciados.”

E acrescenta: “Queremos também ser um órgão consultivo com os principais parceiros da área do pré-hospitalar e através da emergência defender a segurança médica dos portugueses.”


ICE 2019

“O ICE é o ponto alto dos nossos desígnios”

O último grande evento organizado pela Associação foi o International Congress on Emergency - ICE 2019, que decorreu, em abril, no Porto. Em declarações à Just News, Just News Tiago Amaral, secretário da Direção da APEMERG, sublinha a relevância desta iniciativa:

“O ICE é o ponto alto dos nossos desígnios, que permite a divulgação científica, que vai contribuir para melhorar e dinamizar a emergência médica em Portugal."

Segundo o enfermeiro da VMER do Hospital de São José, a edição deste ano "pautou-se mais uma vez pela qualidade e mais valia para todos os que se inscreveram" e desenvolve a sua ideia:

"Foram desenvolvidos temas na área da emergência pediátrica e obstétrica com excelentes apresentações. Em outras sessões foram também abordadas experiências fora de Portugal, o que nos deu uma visão alargada e comparativa do que se faz no nosso país."



Merece ainda particular destaque "as novas ideias sobre o suporte avançado de vida e o papel da Fisiologia e que muito agradou aos presentes", bem como os dois oradores principais do evento. "O Dr. Pinchas Halpern deu-nos uma visão muito realista de eventos mass casualty em Israel e o Dr. Jean François Payen partilhou a sua experiência na gestão do TCE nas primeiras 24 horas."

Este ano, foi ainda lançado no evento o concurso do "Melhor artigo científico" em emergência extra-hospitalar, tendo sido atribuído o prémio ao artigo "Competência em suporte básico da vida nas comunidades escolares: uma perspetiva de cidadania", da autoria de Christine Branquinho e Pedro João Soares Gaspar.



Para Tiago Amaral, que desenvolve também atividade como enfermeiro especialista na Urgência do Hospital São José, "esta iniciativa não é mais do que um prémio de motivação para que cada vez mais pessoas criem o gosto pela investigação e não só pela clínica". O secretário da APEMERG considera que "são momentos que despertam nos demais a vontade de fazer um trabalho útil na emergência hospitalar, vendo-nos como parceiros ativos".



Lisboa, Porto e Faro

É inevitável fazer-se referência à "extraordinária participação" do ICE 2019. Depois de, em 2018, na sua primeira edição, o evento ter reunido 250 profissionais em Oeiras, este ano o Congresso juntou o dobro dos participantes.

Contudo, a adesão foi tal que, além da rápida inscrição dos 500 congressistas, a organização teve mais 400 participantes que se inscreveram, como suplentes, "e que não puderam participar, pois o espaço estava já lotado, três meses antes".

Assim, não é de admirar que Tiago Amaral reconheça que, depois de Lisboa e Porto, "as expetativas são boas para 2020, em Faro", cidade onde decorrerá o ICE 2020. Por outro lado, este grande interesse "sugere que, apesar de existirem vários eventos científicos na área da Medicina em Portugal, a APEMERG veio de facto colmatar uma falha representativa no panorama da emergência no nosso país".

E reconhece: "Temos uma responsabilidade acrescida e tentamos que os nossos eventos tenham sempre o máximo de qualidade".



Workshops

Com 300 médicos e enfermeiros associados, na sua maioria da área da emergência pré-hospitalar, a APEMERG realiza outras ações formativas ao longo do ano. “Temos dois workshops anuais abertos a todos os profissionais, em particular aos nossos sócios", refere Tiago Amaral.

Este ano os workshops realizam-se no último trimestre. "Um será no Porto sobre ´Inovação na abordagem PCR refratária extra-hospitalar` e o outro, com tema ainda a definir, realizar-se-á em Lisboa.”

"O objetivo é levar conhecimento científico prático a todos os profissionais da área, de forma a que possam aplicar no seu dia a dia", explica o secretário da APEMERG.


Ação voluntária de médicos e enfermeiros da APEMERG numa escola de Lisboa: boa disposição na transmissão de conhecimentos

Segurança do doente


Além destas ações de formação para profissionais de saúde, a APEMERG estende ainda a sua intervenção à comunidade, algo que surge de forma natural e "no seguimento dos nossos desígnios enquanto associação preocupada com a defesa da segurança do doente em contexto de emergência", refere Tiago Amaral.



Assim, e como resultado de uma parceria com o agrupamento de Escolas Eça de Queirós, em Lisboa, um conjunto de 16 formadores, médicos e enfermeiros associados da APEMERG, voluntariaram-se para realizar uma sessão de mass training em suporte básico de vida ao corpo docente e outros profissionais afetos às escolas (num total de mais de 80 pessoas).

Se é uma ação para repetir? "É claro que sim", assegura Tiago Amaral, ou não fosse "a paixão pela vida e pela emergência" o que move os médicos e enfermeiros da APEMERG.
 

seg.
ter.
qua.
qui.
sex.
sáb.
dom.

Digite o termo que deseja pesquisar no campo abaixo:

Eventos do dia 24/12/2017:

Imprimir