Medicina Familiar e Saúde Pública: parceria na região Oeste promove a Saúde Mental

"As nossas jornadas estão a crescer e, acima de tudo, a estender-se no território nacional", afirma Luís Borges Ferreira, interno de Medicina Geral e Familiar (MGF) e membro da Comissão Organizadora das Jornadas de Saúde Mental do Oeste Sul (JoSMO).

O evento, que se realiza esta semana em Torres Vedras, é resultado de uma parceria entre os internos de Medicina Geral e Familiar e de Saúde Pública, conforme explica o médico interno da USF Gama:

"Uma colaboração que surgiu pelas necessidades formativas de uns (MGF) e pela constatação da existência de uma discrepância entre as prioridades em saúde da população da região Oeste e os médicos de família, que foi estudada pela Saúde Pública. Percebemos então a importância que a formação específica em Saúde Mental tem para os médicos de família e de que modo esta deve ser ajustada para se aproximar das reais necessidades e interesses da população." 


Nuno Rodrigues, delegado de Saúde do ACES Oeste Sul, e Luís Borges Ferreira

Uma recetividade "algo inimaginável"

O evento, agora na sua terceira edição, rapidamente suscitou um grande interesse, sendo já uma referência na região, e não só. Depois de, no último ano, ter contado com cerca de 125 participantes, "este ano procurámos ultrapassar este número, tendo por objetivo os 150 participantes".

Contudo, entre os inscritos, os oradores e os membros da comissão organizadora, "ultrapassamos já os 180 participantes nesta 3.ª edição das JoSMO, o que é algo inimaginável há alguns meses atrás. Este poderá ser o mote para que, numa próxima edição, optemos por um auditório maior, com capacidade para 200-250 pessoas", afirma Luís Borges Ferreira.



Como se explica esta grande adesão? Provavelmente por se tratar de um evento com características diferentes do habitual, "dedicado exclusivamente a debater temas de saúde mental e sendo organizado por internos de Medicina Geral e Familiar e de Saúde Pública".

Para a obtenção deste resultado positivo, será também relevante o facto dos oradores convidados da reunião serem psicólogos e psiquiatras, maioritariamente da região, mas também de outras entidades, como o IPO Porto e Centro Hospitalar Tondela-Viseu, sendo ainda partilhada a perspetiva e experiência da Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiatria.

Por outro lado, o responsável considera que "o facto de este ano termos inovado em relação aos anos anteriores, com um concurso de posters clínicos e três workshops exclusivos para médicos, fomentou a participação de médicos internos e especialistas das áreas de Psiquiatria e de MGF que trabalham em outras regiões".

Na sua opinião, "estes eventos dentro do programa das jornadas serão uma mais valia para o objectivo final, aproximar mais os profissionais de saúde da região Oeste."

Contribuir para a "criação de uma rede de contactos"

Segundo Luís Borges Ferreira, o foco das jornadas tem sido, "primordialmente, colmatar uma falha na oferta formativa para os médicos de família da região Oeste, especialistas e internos". 

Desta forma, "desde o início que a reunião está virada para a criação de uma rede de contactos e conhecimentos entre os vários intervenientes na área da Saúde Mental na região Oeste". E, nesse sentido, o evento tem tido sempre a participação de variados profissionais, "como enfermeiros, psicólogos clínicos, assistentes sociais, professores, elementos da Câmara Municipal de Torres Vedras, onde destacamos a participação empenhada da psicóloga e vereadora do pelouro da Saúde, Dra. Ana Umbelino." 

Acima de tudo, acrescenta, "estas jornadas primam pelo momento de partilha de conhecimentos, dificuldades e experiências e de convívio entre profissionais que se cruzam no seu dia-a-dia."


Alguns dos elementos da Comissão Organizadora: Joana Roque (interna de Saúde Pública), Luís Borges Ferreira, Nuno Rodrigues e Mariana Paim Carvalho (interna de MGF)

Ajudar a "criar pontes" para melhor utilização dos recursos

Luís Borges Ferreira refere também outro propósito das Jornadas de Saúde Mental do Oeste, que passa por dar a conhecer os recursos existentes na comunidade e qual o melhor meio de os rentabilizar:

"Acreditamos que as jornadas não têm apenas um fundo formativo, mas também um fundo social, onde outro dos objetivos é que os profissionais que trabalham na área da saúde mental se possam conhecer. É frequente existirem recursos que são desconhecidos dos profissionais, ou de existirem profissionais da mesma área que não se conhecem ou apenas ouviram falar."

Neste sentido, "o nosso objectivo é unir e criar pontes entre ambos", refere.



Especificamente sobre este ano, adianta: "Queremos dar a conhecer melhor o Núcleo de Psiquiatria Comunitária de Torres Vedras (que pertence ao Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa), para quem referenciamos os nosso utentes, e o Centro de Respostas Integradas do Oeste, Equipa de Tratamento de Torres Vedras."



Quanto ao tema da reunião, "é dedicada à depressão nas diferentes fases da vida, desde o período peri-natal, passando pelo adolescente, pelo adulto em idade activa, pelos hábitos de consumo associados à depressão e por fim pelo idoso."

O programa completo pode ser consultado aqui.


De periodicidade mensal, Jornal Médico dos cuidados de saúde primários é distribuído em todas as unidades de saúde familiar do país, sendo uma ferramenta única na partilha e promoção de boas práticas e projetos inovadores implementados nos cuidados primários.

seg.
ter.
qua.
qui.
sex.
sáb.
dom.

Digite o termo que deseja pesquisar no campo abaixo:

Eventos do dia 24/12/2017:

Imprimir


Médicos de família assinalam Dia Mundial da Asma 2019 na Sertã