Geriatria: 10 anos de um curso «aberto a todos os que lidam com doentes idosos»

Não são apenas os médicos, nomeadamente internistas, que têm participado no Curso de Introdução à Geriatria, que tem a sua 10.ª edição nos dias 21 e 22 de junho, na sede da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI), em Lisboa.

“Temos mostrado a total abertura a todos os que lidam com doentes idosos, daí que entre os formandos além dos médicos, haja enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, nutricionistas e assistentes sociais”, afirma Sofia Duque, secretária do Curso e coordenadora adjunta do Núcleo de Estudos de Geriatria (NEGERMI) da SPMI.


Sofia Duque

A primeira edição do Curso, organizado pelo NEGERMI, decorreu em 2009, em Tomar. Ao longo dos anos, as principais dúvidas dos formandos dizem respeito, sobretudo, à aplicação de alguns conceitos na prática clínica, o que, segundo Sofia Duque, se justifica pela “falta de formação pré-graduada em Geriatria nas várias classes profissionais, assim como à não existência de uma cultura nos cuidados de saúde facilitadora da intervenção interdisciplinar e à limitação de recursos físicos e humanos”.

"Especificidades do doente idoso

A responsável considera ainda que as dúvidas habituais se devem ao facto de apenas há pouco tempo se terem implementado unidades de internamento e consultas especializadas de Geriatria no país. Passos importantes que acabam por refletir “o envelhecimento da nossa população, uma realidade inegável, e o facto de os jovens médicos começarem a ter alguma formação pré-graduada em Geriatria, reconhecendo que os doentes idosos são diferentes dos adultos”.

E acrescenta: “Após o Curso, os formandos ficam mais sensibilizados para as especificidades do doente idoso, para a presença de síndromes geriátricas e alguns sentem-se mesmo motivados para adquirir ainda mais conhecimentos nesta área, podendo mesmo ser futuros impulsionadores de novos modelos de assistência clínica especializada às pessoas idosas.”

Mesmo que nem todos venham a praticar a Geriatria no dia-a-dia, a médica diz acreditar que, com esta ação formativa, se compreende melhor que “alguns idosos requerem uma abordagem especializada, justificando-se assim a criação de consultas e unidades de internamento próprias”.


Coordenação do NEGERMI: Gracinda Brasil, Eduardo Haghighi, João Gorjão Clara, Rafaela Veríssimo, Lia Marques, Marco Narciso, Sofia Duque e Heidi Gruner (ausentes na foto:
Helder Esperto e Márcia Kirzner)

Recuperar "o atraso de Portugal nesta área clínica”

Continuando, realça ainda que, ao longo de 10 anos, se tem notado que “os jovens profissionais de saúde estão muito abertos ao mundo e veem que, nos países mais desenvolvidos da Europa, a assistência clínica geriátrica ė uma realidade, podendo melhorar a qualidade de vida das pessoas idosas.”

A especialista menciona mesmo que quem teve contacto com unidades de Geriatria noutros países, através do programa ERASMUS, “não compreende nem aceita o atraso de Portugal nesta área clínica”.


João Gorjão Clara e Sofia Duque, coordenador e coordenadora adjunta do Núcleo de Estudos de Geriatria

Quanto ao Curso, o balanço de 10 anos é positivo e Sofia Duque afirma mesmo que tem sido uma mais-valia nos avanços que a Geriatria teve ao longo da última década.

Um período durante o qual se assistiu "ao aparecimento de algumas consultas multidisciplinares de Geriatria e de unidades de internamento de Geriatria e Ortogeriatria, ao reconhecimento da competência de Geriatria pela Ordem dos Médicos e à realização do Congresso Europeu da EUGMS, em 2016, em Portugal".



O prazo de inscrição no curso termina esta sexta-feira. Podem ser consultadas mais informações aqui.

Contacto: curso.geriatria.germi.spmi@gmail.com

seg.
ter.
qua.
qui.
sex.
sáb.
dom.

Digite o termo que deseja pesquisar no campo abaixo:

Eventos do dia 24/12/2017:

Imprimir


Médicos de família assinalam Dia Mundial da Asma 2019 na Sertã